8 de janeiro de 2013

Televisão

RTP 1 estreia dia 14 de Janeiro a nova grelha


No passado dia 07 de Janeiro, no estúdio 1 das instalações da RTP em Lisboa, foi apresentada a nova grelha de programação do canal 1 da estação pública.
O Presidente da RTP, Alberto da Ponte, no uso da palavra disse na apresentação da nova grelha que a mesma “quer exprimir o que a RTP quer ser no futuro” pois “independentemente das polémicas” a estação é “o operador público do audiovisual em Portugal”.
Alberto da Ponte referiu ainda que nesta grelha é possível vislumbrar “uma revolução na programação da RTP”, sendo que o objectivo é “estarmos próximos dos portugueses”.

O Director de Conteúdos, Luís Marinho começou por dizer que “não vamos apresentar hoje mais uma grelha” mas sim “uma nova RTP”. A nova grelha assentará em três objectivos a saber “informar, formar, divertir”, tendo o director de conteúdos acrescentado que espera que “as pessoas se divirtam connosco” esperando que o canal 1 da estação pública funcione num género “pop smart” que como o próprio explicou se baseia numa “televisão popular” mas também numa “televisão inteligente” acrescentando que a RTP “quer ser e vai ser uma televisão consciente”.
Luís Marinho acrescentou ainda que a grelha é resultado de “uma reflexão muito profunda, realizada por uma grande RTP”. O responsável rematou afirmando que “vamos voltar a conquistar o coração e a cabeça dos portugueses”.
Hugo Andrade, director de programas, foi também dono da palavra para afirmar que “a matriz tinha cerca de 12 anos” e que “estava na altura de mudá-la, renová-la”, referindo que um dos grandes problemas estava na “irregularidade dos horários”.
Em relação à nova grelha Hugo Andrade afirmou que “pode parecer idêntica à anterior mas não é, pois 80% dos programas são novos”, rematando com “tempo pode trazer novos espectadores”.

Neste cerimónia, Paulo Ferreira, director de informação também usou da palavra dizendo que “a informação vai ter lugar de destaque”, informando que uma das alterações se prende com a inserção do programa “360” logo a seguir ao Telejornal, programa onde se olhará para um tema da actualidade ou até do próprio dia de vários ângulos, aproveitando desta forma toda a informação captada. O Telejornal e "360" “serão apresentado alternadamente por José Rodrigues dos Santos e José Adelino Faria”.
Na parte de informação farão parte da grelha ainda os programas “A grande entrevista”, “O nosso tempo”, “Termómetro politico”, “De caras”, “Linha da frente” e “Sexta às 9” onde será realizado um jornalismo de investigação sobre temas polémicos.
Hugo Andrade referiu ainda que uma “das maiores apostas é a ficção”, área onde “vamos reforçar significativamente em vários géneros”. Foi também revelado pelo director de programas que ao longo deste ano vão ser exibidas várias séries, por exemplo, sobre as “Linhas de Wellington”, “Operação Outono” e “Odisseia de Homero”.
Tempo para depois ser dada atenção a uma das grandes apostas para este ano, a série “Depois do Adeus”, uma história que nos remete para 1975, onde uma família de retornados fugida de África, que será exibida aos sábados pelas 21:00 e terá a duração de 26 episódios.
Na nova grelha existirá também espaço para os talk-shows, há a destacar a mudança de apresentadores na “Praça da Alegria” e “Portugal no Coração”.

Mantém-se o progrma “5 para a meia-noite” e surge como novidade o novo programa de Herman José, “Herman 2013” e “Aqui Portugal”, que irá para o ar aos sábados à tarde, sendo apresentado por Jorge Gabriel e Sónia Araújo.

Outra das grandes apostas ou talvez uma das maiores é “Don´t stop me Now”, que será apresentado por Catarina Furtado, onde se vai revelar o talento escondido de oito celebridades na área da musica, da dança, do humor ou outro talento escondido. Será exibido aos Sábados pelas 22:00.
Na área dos sitcoms a nova grelha, reserva espaço para quatro programas, que são “Hotel Cinco Estrelas”, “Agora é a sério”, “A mãe do Sr. Ministro” e a segunda temporada de “Os compadres”.
Outro grande “produto” da nova grelha será “Odisseia”, que terá como protagonistas Gonçalo Waddington e Bruno Nogueira aos quais se junta Tiago Guedes. Terá a sua estreia dia 20 de Janeiro pelas 21:00 e uma duração de 13 episódios.
A RTP1 reserva-nos ainda espaço para o "infotainment", onde a informação e entretenimento andarão de mãos dadas.

Neste espaço existirão cinco programas, acrescentando-se ao já existente “Portugueses pelo mundo”, os programas, “Quem é que tu pensas que és”, Portugal de…”, “Conta-me História” e “Não me sai da cabeça”.

Nesta área há a destacar a eliminação dos concursos que existiam no prime-time, passando a ser exibido entretenimento.
Para terminar as novidades da nova imagem da RTP 1, há a destacar “Sinais de Vida”, uma série de 80 capitulos, que se divide entre o Hospital de Santa Catarina em Lisboa e o Jardim Zoológico, onde maioritariamente poderemos ver aspectos pessoais e profissionais de pessoas que trabalham nestas áreas retratadas na televisão.
No final da apresentação da nova grelha da RTP1, o Hardmusica falou com Silvia Alberto, que será o rosto de “Não me sai da cabeça”, que nos disse que “em cada programa nos vai ser apresentada uma música que não nos sai da cabeça”, explicando que “irá ser explicada a época a que a música se insere e qual o contexto dessa época”. Este programa terá a duração de 10 episódios, e quando questionada de qual o convidado mais marcante, disse “ser difícil responder pois houve programas muito emocionantes e houve outros muito divertidos”.
Silvia revelou-nos ainda que cada episódio “terá uma duração de 35 minutos, 40 no máximo”, mas que foi um trabalho em que teve que fazer “muita pesquisa, de forma a contar a história de Portugal daquela época de uma forma mais leve”.
Luis Marinho, em conversa com os jornalistas, quando questionado se haverá grande diferença nos números, referiu que “o que nós queremos é acreditar no painel, agora se os números vão ser muito diferentes ou não, não sabemos. Temos noção que valemos mais do que os números nos dizem, mas temos que acreditar nos números” Luis Marinho referiu também que a diversão “faz parte do serviço público, mas é uma diversão mais inteligente, que não fecha pessoas nas casas, que não põe pessoas a dizer disparates por dizer disparates. Mas diversão no serviço público sim”.
Catarina Furtado, que terá a seu cargo “Don´t stop me Now” disse aos jornalistas que “ainda não sei quando estreia o programa”, acrescentando que o formato do programa ainda “não foi feito em Portugal e que os concorrentes serão sempre novidades” Catarina referiu também que gostaria de ter mais programas solidários, como a gala “Príncipes do Nada”.
Gonçalo Waddington, disponibilizou-se depois para falar um pouco acerca de “Odisseia”, “uma história de dois amigos qua vão de viagem, que decidem fazer uma espécie de fuga às suas responsabilidades e ao mesmo tempo há uma segunda narrativa que se vai desenvolvendo ao longo dos episódios mas a qual não estamos a revelar agora porque é a parte surpresa da história”. O actor revelou-nos ainda que este projecto surgiu “da ideia de eu e o Bruno [Nogueira] acharmos que seria bom fazermos algo juntos”. Foi ainda revelado que cada episódio terá em média uma duração de 40 minutos.
A nova grelha da RTP1 estreia no dia 14 de Janeiro e passará a ser emitida no formato de 16:9.

Nenhum comentário:

Postar um comentário