25 de janeiro de 2013

Teatro

“ Morreste-me ” entra em cena no Teatro do Bairro


O texto de José Luís Peixoto foi convertido em monólogo pela actriz Sandra Barata Belo em conjunto com Cátia Ribeiro e é agora uma peça de teatro, que ganha vida no corpo e voz de Sandra Barata Belo.
A história centra-se numa rapariga que perdeu todas as suas bases, o pai. As cenas decorrem num espaço fictício onde tudo se mistura, algures no Alentejo. Num tempo confuso pós perda com pedaços ligados ou desfeitos ou refeitos de uma vida partilhada.
A personagem é uma menina típica da aldeia, que coze pão e vai falando da sua angústia interior, e sobre as suas memórias que a ajudam a continuar, a reaprender a andar e reorganizar e refazer a vida. A falta de quem amamos deixa-nos vazios, com pouca vontade de caminharmos sem ela, e é isso que se percebe na interpretação de Sandra Barata Belo.
O cenário é bastante original e minimalista, com várias caixas de cartão ao fundo onde são projectados vídeos que lhe dão um efeito bastante interessante.
Este é um monólogo intenso, sobre uma jovem revoltada que faz uma travessia interior aos piores lugares do seu ser. O objectivo desta travessia é o de recolher lembranças para fechar a casa e seguir caminho. Mas como será construída tamanha viagem?
Num desafio obviamente pungente, a actriz Sandra Barata Belo entrega tudo o que tem e mostra a sua capacidade de mostrar o interior, o bom, o mau, o doce e o amargo de uma mulher que é ainda uma menina que já não tem os pés no chão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário