28 de janeiro de 2013


No momento exacto
Chegou a tua mão estendida
Coberta de silêncio
A repetir no gesto
O brilho
Que têm as estrelas.
Chamei e ecoou em ti
O grito
Irmã desconhecida.
Afinal
Há fendas
No muro de granito
E há mãos
Sem grades nas janelas.
Soledade Martinho Costa
(Do livro “Reduto”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário