17 de dezembro de 2012

Concertos

Artistas contribuem para apoiar o Vale de Acór


A segunda Grande Gala de Solidariedade está marcada para segunda-feira dia 17 de dezembro, às 21:00 no auditório da Igreja de Nossa Senhora da Boa Nova, no Estoril.

O preço dos bilhetes varia entre os 20 euros (normal), os 30 euros (benfeitor silver) e 50 euros (benfeitor gold). A organização sugere que, este ano, o bilhete seja uma prenda antecipada de Natal, oferecendo de uma só vez um espetáculo de qualidade e uma contribuição para a manutenção solidária de uma instituição de recuperação de toxicodependentes, em tempos de grande dificuldade.

"A ajuda de todos é fundamental para dar continuidade ao trabalho que realizamos", afirmaram os responsáveis pelo projecto à RTP.

Conforme se lê na página do Vale de Acór, a Associação afirma ter como objetivo "lutar eficazmente contra a toxicodependência propondo como alternativa à droga a redescoberta da Vida como oportunidade ao Homem para ser feliz", sob o lema: "da droga sai-se, mas não se sai sozinho!"

A trabalhar desde 1994, a Associação Vale de Acór/Projecto Homem é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos. Funciona graças a apoios estatais, de associados e de mecenas.

"Muitas das pessoas que nos chegam não tem meios financeiros nenhuns. Não têm família. Mesmo estes casos, que não podem pagar as suas despesas pessoais e a comparticipação devida na mensalidade, são sempre aceites para tratamento na Comunidade Terapêutica", refere a Associação.

"São os nossos associados, benfeitores e mecenas que tornam este acompanhamento possível, que viabilizam em grande parte o desenvolvimento de novos projectos, a realização de intervenções necessárias em infra-estruturas existentes, a aquisição de equipamento necessário" referem ainda os responsáveis pelo Vale de Acór.

A RTP refere a título de exemplo que António Pinto Leite ofereceu os direitos de autor do seu mais recente livro "O amor como critério de gestão", integralmente a favor do Vale de Acór.

Na primeira Grande Gala em 2011, com a partipação da fadista Carminho, a Associação conseguiu um "balão de oxigénio" que, juntamente com diversas outras ajudas lhe permitiu não fechar portas em 2012, ao contrário de outras instituições de recuperação de toxicodependentes.

Ao longo do ano o Vale de Acór tem lutado não só para se manter em funcionamento mas ainda para conseguir receber os utentes de instituições similares que entretanto encerraram, pessoas que, muitas vezes, ficaram sem apoios de qualquer espécie.

De acordo com os responsáveis pela Associação, apesar de atualmente o Vale de Acór receber mais financiamento estatal devido ao maior número de pessoas acolhidas, as necessidades aumentaram mais ainda em proporção, pelo que a segunda Grande Gala, tal como a primeira, será vital para a manutenção do projecto terapêutico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário